segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Açude de Coremas entrada no caos, Mãe dágua secando, Várzeas de Sousa no colapso; Sertanejos aguardam chuvas




                                        

Não há como se preocupar com os volumes dos principais mananciais no Sertão da Paraíba, praticamente secos.

Basta olhar os números dos volumes dos açudes do Sertão, como andam neste momento em que os sertanejos anseiam pela quadra invernosa para recarregar os mananciais.

O quadro mais crítico é do açude Estevão Marinho na Cidade de Coremas. Dos 591,6 milhões de metros cúbicos, restam 2,5%. A População local passou a semana passada com problema de abastecimento de água humano. A prefeita Chaguinha de Edinho de forma emergencial comprou mais motores bombas para elevarem água até o Rio Turbina, assim captar o precioso liquido para o abastecimento humano. Por enquanto foi encontrada a forma emergencial, mas ainda não se sabe até quando. Espera-se mesmo que nos próximos dias chova, ou cheguem às águas do Rio São Francisco.

As Várzeas de Sousa que produzem mais de R$ 22 milhões de reais por ano com Hortifrutigranjeiros, e outros derivados pararam suas atividades. O Canal da Redenção com mais de 40 km, não recebe mais água. Até faltou água para o consumo humano no Município de Aparecida, Cidade que depende da água vinda da Barragem Mãe Dágua, hoje com 5,5% de sua capacidade. 

A Barragem Mãe Dágua continua liberando 3000m³/s dia para o Rio Aguiar voltar a chegar ao precioso liquido ao Sistema Adutor Manoel Torres, que leva água para Jardim de Piranhas (RN), Caicó (RN), Timbaúba dos Batistas (RN) e São Fernando (RN). As águas também abastecem o Sistema Corema-Sabugi, que leva água a Patos (PB), e comunidades difusas ao longo do rio. 

A Comunidade do Sítio Mãe Dágua, entroncamento da Barragem passa sede, por que existe fiscalização da ANA, e AESA. Mais de 170 famílias na localidade vivem com dificuldade de água para o consumo humano. O sistema que a CAGEPA colocou na comunidade não funcionada a contente. A reclamação dos ribeirinhos é grande.

Aos demais mananciais que fazem parte do complexo das águas no Sertão da Paraíba, a exemplo de Engenheiro Avido, Capivara, Lagoa do Arroz, açude da Farinha em Patos, estão com sua capacidade muita baixa nos volumes apresentados atualmente.

Pequena chuva foi registrada na noite deste sábado para domingo em algumas cidades do Sertão, a exemplo de Sousa. A esperança que a quadra invernosa seja boa o suficiente para recarregar todos os mananciais que se encontram com seus volumes de água críticos.

Confira os volumes de água dos principais mananciais do sertão
Município
Açude
Capacidade Máxima (m3)
Volume Atual (m3)
% Volume Total
Data
Coremas
Canal da Redenção (Vazão l/s)
3.000
*
*
*
Coremas
Coremas
591.646.222
14.775.172
2,5
05/01/2017
Coremas
Mãe dÁgua
567.999.136
31.209.445
5,5
06/01/2017
Cajazeiras
Engenheiro Ávidos
255.000.000
12.834.808
5,0
06/01/2017
Cajazeiras
Lagoa do Arroz
80.220.750
9.980.490
12,4
06/01/2017
Triunfo
Gamela
472.926
39.900
8,4
06/01/2017
Uiraúna
Arrojado
3.596.180
8.856
0,2
05/01/2017
Uiraúna
Capivara
37.549.827
1.450.301
3,9
19/12/2016
Patos
Farinha
25.738.500
2.942.600
11,4
15/12/2016
Patos
Jatobá I
17.516.000
456.300
2,6
26/12/2016
Sousa
São Gonçalo
44.600.000
12.735.160
28,6
06/01/2017

Nenhum comentário: